braganeto1965@hotmail.com

braganeto1965@hotmail.com

domingo, 26 de outubro de 2014

CRÔNICA: OS OLHOS DE PERPÉTUA


Dizem que eram lindos os olhos de Perpétua. Não sei, porque eles nunca olharam para mim.
Os olhos de Perpétua eram voltados mais para as joalherias, carros bonitos, mansões e outros mais.
Um dia Perpétua passou na minha rua e fiquei quase em sua frente para ver se ela olhava para mim. Perpétua fingiu que nem me viu.
Certo dia Perpétua passava na Praça, dei um psiu!!! Ela fez que não ouviu.
Os olhos de Perpétua olhavam as pessoas, os animais, as flores, a água correndo da fonte, mas não olhavam para mim.
Não só os olhos de Perpétua eram atraentes. Seus cabelos eram bonitos, seu rosto era belíssimo, o andar perfeito e o corpo encantador.
Perpétua se divertia nas festinhas de aniversário. Olhava para o aniversariante, o bolo, os salgados, os refrigerantes, os balões amarrados na parede, mas não olhava para mim.
Nas festas de final de ano os olhos de Perpétua olhavam para os parques de diversões, o povo que participava nas barracas de comidas típicas, as pipocas, o algodão doce, mas não olhavam para mim.
No meu aniversário, fiz questão de fazer uma pequena comemoração só para enviar convite e aguardar a presença de Perpétua para ver os olhos dela. Ela nem apareceu.
Sentia-me infeliz porque os olhos de Perpétua não olhavam para mim.
Num belo dia em que Perpétua estava observando o horizonte na janela de sua casa, eu passeava de bicicleta nas imediações e cheguei perto dela. Perpétua saiu da janela de imediato e nem olhou para mim.
Fui embora da cidade e passei catorze anos fora de minha terra. Quando retornei, tive a tristeza de saber que Perpétua nunca vai olhar para mim.
Por problemas cardíaco, Perpétua foi morar com Deus.
E agora? Perpétua morreu e não olhou pra mim!
*****
Nem tudo o que a gente quer na vida, podemos conseguir. Mesmo assim devemos agradecer aquilo que conseguimos ter, conforme nossos objetivos alcançados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário