braganeto1965@hotmail.com

braganeto1965@hotmail.com

sexta-feira, 3 de março de 2017

O LINGUARUDO

A caravana do governador Ricardo Coutinho chega a Monteiro nesta sexta-feira (3) e vai direto visitar as benfeitorias feitas pelo Governo no trajeto por onde a água do São Francisco vai correr até chegar a Boqueirão. A prefeita da cidade não irá receber o governador. Alega compromissos previamente agendados. A desculpa não cola. Não vai porque o deputado João Henrique, seu chefe e futuro sogro, não deixa. João é o coronel de Monteiro e ai de quem contraria-lo. (Blog do Tião Lucena)

O senador Raimundo Lira não é um homem muito rico a toa. Ninguém chega a ser tão bem sucedido se não tiver um tino, o pulo do gato. Através de Fabiano Gomes, soube da primeira e agora da segunda pesquisa colocada à mesa para Lira tomar uma decisão. Estou entre os que não percebe Lira como candidato a governador, apesar de a ideia de Raniery Paulino de um grande pacto tendo o ex-cara da Autolatina como consenso, ser interessante. Lira olha para outra cadeira. Quando todos debatem nomes para suceder o governador Ricardo Coutinho, Lira se contenta com uma suplência de senador, repetindo 2010, quando foi suplente do agora ministro Vital e assumiu a titularidade. E não é uma suplência qualquer, pois de um homem bem sucedido só se espera grandes jogadas. Lira quer ser o suplente de RC. (Blog do Dércio)
Alheio ao processo que julga as contas da chapa Dilma-Temer, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), acabou citado no depoimento de Marcelo Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na quarta-feira. Ao falar sobre pedidos de políticos de dinheiro para a campanha de 2014, Marcelo disse que se reuniu três vezes com Aécio, que concorria à Presidência pelo PSDB. Em um desses encontros, segundo o delator, o tucano pediu uma doação de R$ 15 milhões. (Exta-Polêmica Paraíba)
A 2ª Lista de Janot sai semana que vem; e dá calafrio. A Procuradoria Geral da República trabalha para apresentar a segunda Lista na semana que vem. Avalia que o caminho mais simples para a abertura de inquéritos é o Supremo Tribunal Federal autorizar o procurador-geral a redistribuí-los às instâncias judiciais competentes. A informação é da coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta sexta-feira. (Blog do Robson Pires)

Nenhum comentário:

Postar um comentário